São Judas Tadeu – Quem foi? Qual sua história? Por que ele é tão importante?

No Comments

 

São Judas Tadeu é um santo da Igreja Católica, além de ter sido um dos doze apóstolos de Jesus. O dia de São Judas Tadeu é comemorado anualmente em 28 de outubro.

História e importância de São Judas Tadeu

 

São Judas foi um apóstolo de Jesus Cristo, e por esse motivo pode ser confundido com o outro apóstolo chamado Judas, aquele que traiu Jesus Cristo. Entretanto, São Judas Tadeu descendia da linhagem real de David e, portanto, era um parente de sangue de Jesus Cristo.

O pai de São Judas, chamado Cléofas, era irmão de São José, Marido da Santíssima Virgem. A mãe, chamada Maria de Cleofás, era prima da mãe de Jesus, portanto, São Judas era primo de Jesus em primeiro grau.

São Judas Tadeu é tão importante porque ele sendo um dos 12 apóstolos pode conviver pessoalmente com Jesus, seguindo Cristo durante os seus anos de pregação, e a sua doutrina, após a morte de seu mestre.

Ele foi um grande evangelizador, primeira evangelizando a Judia, em seguida, Mesopotâmia e Pérsia, e finalmente, levando em toda parte o Evangelho da Salvação.

Além disso, São Judas escreveu uma das epístolas do Novo Testamento: “A Carta de Judas”. Nessa carta ele chama a atenção e alerta a igreja que estava nascendo para terem cuidado com os falsos profetas.

“Pois certos homens ímpios se introduziram furtivamente entre nós, os quais desde muito tempo estão destinados para este julgamento; eles transformam em dissolução a graça de nosso Deus e negam Jesus Cristo, nosso único Mestre e Senhor.” (São Judas, 1)

Martírio

 

São Judas Tadeu morreu na Pérsia, morto por pregar o Evangelho de Jesus Cristo, pois diversos persas se converteram ao cristianismo. Algo que incomodou os poderosos da Pérsia. Acredita-se que ele morreu decapitado por carrascos que usavam como ferramenta um machado muito afiado.

Categories: Santos

Conheça a história de São Jorge

No Comments
São Jorge

A verdade é que existem inúmeras histórias referentes a São Jorge. Infelizmente, temos poucos fundamentos históricos para apresentar-lhe como bases, porém, o que iremos abordar será o suficiente para continuarmos nossa fé.
São Jorge pertenceu ao grupo militar que guardava o Imperador Romano, contemporâneo a sua época, Diocleciano. Este poderoso imperador, ficou muito conhecido por perseguir cristãos ou quaisquer seres que se mostravam a favor dos mesmos.

São Jorge, percebendo as barbaridades que ocorriam, decidiu que viver em prol de alguém tão tirano não seria uma opção e deixou o exército. Por ser apoiador da causa cristã e contra os desígnios de Diocleciano, foi perseguido e preso. Ao negar renunciar o nome de seu Deus, São Jorge morreu nas mãos de romanos e se tonou mártir.
São Jorge e o Dragão

A imagem de São Jorge

É muito comum vermos imagens que mostram São Jorge montado sobre um cavalo branco, imponente, com um lança para derrotar um Dragão.
Segundo a lenda, ou parábola, havia um Dragão que costumava atormentar e oprimir um povo. São Jorge, em nome da princesa sorteada a ser dada ao Dragão, lutou com ele em sua honra e o venceu com sua lança. Como cristão e humilde, São Jorge distribui todos seus bens, ganhos da luta, com os pobres.
Mesmo que não seja uma história verídica, vemos que sua lírica passa a imagem de São Jorge vivendo, humildemente para Deus e para ajudar os pobres, vencendo o Dragão (romanos) em suas batalhas.

Curiosidades

Em pinturas e mitologias, o real significado do Dragão é o demônio que representa a imagem dos romanos.
A cruz vermelha não era uma imagem contemporânea ao santo. Ela foi atribuída apenas no século 12, pelos ingleses, na primeira cruzada;
• São Jorge é padroeiro de Portugal e Inglaterra. Porém, inclui algumas outras cidades e, no Brasil, de cidades como Rio de Janeiro, Corinthians, e o bairro Tatuapé.

São Jorge no mundo da Lua

Na verdade, a origem da história de que ele habita na lua não se originou da verdade, nem mesmo da Inglaterra. Ela se originou no Brasil, numa convergência com a cultura umbanda.
São Jorge teria uma relação com Ogum, um santo da guerra segundo a cultura africana. Na cultura, o orixá teria uma energia que mantém suas vibrações masculinas se mantém com as femininas na lua.

Categories: Santos